A DIVERSIDADE RELIGIOSA EM CANOAS-RS

Com o propósito de tornar público os dados referentes à religião declarados pela população canoense nos censos do ano de 2000 e 2010 o Observatório da Realidade e das Politicas Públicas do Vale do Rio dos Sinos – ObservaSinos fez o acesso e sistematização da informação disponível no site do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Os dados coletados são objeto do artigo elaborado pelo pesquisador Inácio José Spohr, coordenador do programa Gestando o Diálogo Inter-Religioso e o Ecumenismo – GDIREC.

O ObservaSinos e o GDIREC são programas do Instituto Humanitas Unisinos – IHU.

Inácio José Spohr possui graduação em Filosofia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, e mestrado em Ciências Sociais pelo Instituto Latinoamericano de Estudios Sociales, de Santiago do Chile.

Eis a análise.

O propósito da abordagem que aqui faço se restringe a uma breve apresentação e análise dos dados das amostras relativos à diversidade religiosa em Canoas, coletados pelos Censos do IBGE de 2000 e 2010. Faço-o, no entanto, com a ressalva de que os resultados dos Censos, embora obtidos mediante métodos científicos, nem sempre respondem adequadamente a particularidades locais, às vezes muito distantes das de outras áreas do território nacional.

Com 323.827 habitantes, Canoas é a cidade mais populosa entre os 14 municípios da região do Vale do Rio dos Sinos. Situada na cercania de Porto Alegre, Esteio e Sapucaia, apresenta um alentado setor industrial e comercial, e um importante polo universitário1. Município emancipado de São Sebastião do Caí e Gravataí em 19392, Canoas é conhecida tanto no Estado do Rio Grande Sul como em outras regiões do país, por abrigar, em seu território, a “Base Militar da V Zona Aérea” e a Refinaria de Petróleo Alberto Pasqualini (REFAP).

Religiões Cristãs

O desenvolvimento das religiões cristãs em Canoas, segundo os Censos de 2000 e 2010, confirma, em termos gerais, a tendência da diminuição numérica dos adeptos das igrejas Católica Apostólica Romana, Católica Apostólica Brasileira e Evangélicas de Missão, bem como assinala o crescimento das religiões de origem pentecostal. Não obstante, o crescimento das religiões pentecostais não consegue suprir a totalidade das perdas das religiões cristãs (cf. tabela 1). O cristianismo está em recuo nesta região do Estado.

 Segundo o Censo de 2000, a Igreja Católica Apostólica Romana iniciou a década com 75,72% da população e a terminou, em 2010, somente com 64,37%. Houve, portanto, uma perda de adeptos equivalente a 11,35% da população total do município. Continua, portanto, amplamente majoritária entre todas as formas religiosas, mas sensivelmente menor. Já as religiões evangélicas, durante este mesmo tempo, ao contrário, expandiram o número de seus adeptos em 6,13%. Mas o cristianismo, como um todo, diminuiu suas forças em 5,88% (19.041 habitantes) na década.

Para onde foram os ex-adeptos do cristianismo? Quais formas de crer ou de descrer incorporou este contingente de canoenses?

Evangélicas de missão

Entre as religiões evangélicas de missão (tabela 2) a perda de participantes é bem menos intensa que a do catolicismo. Com menos 0,01% as tradicionais igrejas evangélicas de missão de canoas se mantiveram praticamente estáveis. Tiveram pequenos acréscimos as denominações Presbiteriana e Batista, enquanto decresceram, um pouco, as igrejas Luterana, Metodista e Adventista. Não há dados comparativos nos Censos para a denominação Evangélica Congregacional e outras Evangélicas de Missão.

Evangélicas de origem pentecostal

As religiões de origem pentecostal (tabela 3) se distinguem do campo religioso católico e evangélico histórico (evangélicas de missão, segundo o Censo) devido a seu processo de afirmação no meio religioso tanto no Estado do Rio Grande do Sul como em todo país. Durante a década aqui considerada, tiveram um incremento de 1,42% sobre o total da população do município de Canoas3. Acrescentaram adeptos as Igrejas Assembleia de Deus, Evangelho Quadrangular e Deus é Amor. Entretanto diminuíram suas adesões as Igrejas Congregação Cristão do Brasil, o Brasil para Cristo e Universal do Reino de Deus. Não apresentaram adeptos, tanto em 2000 como em 2010, as religiões evangélicas de origem pentecostal “Igreja Nova Vida” e “Evangélica renovada não determinada”4.

Religiosidades Evangélicas sem vínculo institucional

No item “Religiosidades evangélicas sem vínculo institucional” (tabela 4) o Censo de 2000 aponta 1781 habitantes (0,58%), dos quais 0,38% são “Evangélicos” (Ev. de Missão?), 0,21% são “Evangélicos de origem pentecostal” e 0,41% são de “outras religiões evangélicas”.

Já em 2010 o Censo opta por averiguar o número de evangélicos com denominação indeterminada (5,72% da população) e os pertencentes a outras religiosidades cristãs (0,66%).

Diante da escassa opção numérica da alternativa “evangélicas sem vínculo institucional” verificado no Censo de 2000, chama a atenção o alto índice da opção “evangélica não determinada” (5,72%) verificada no Censo de 2010. Será este índice um signo da emergência de evangélicos sem prática religiosa?

Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Testemunhas de Jeová, Espiritualista e Espírita

Neste conjunto de igrejas (tabela 5) cresceram (um pouco) as religiões Testemunhas de Jeová e Espiritualista, enquanto diminuíram os membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. A Doutrina Espírita, no entanto, mais que dobrou seu número de adeptos durante o período. Se em 2000 os espíritas detinham 6.456 adeptos (2,11%), em 2010 passam a ter 14.145 participantes (4,37%).

Religiosidades afro-brasileiras

O Censo de 2010 aponta que Umbanda e Candomblé (tabela 6) reúnem 8.072 seguidores (2,49%). Desdobrada a soma, temos 2,26% na Umbanda, 0,1% no Candomblé e 0,14% em “Outras religiões afro-brasileiras”.

Na década, o Candomblé diminuiu 0,16% enquanto que a Umbanda aumentou 0,51%. Como em outras cidades do Vale do Rio dos Sinos, não são muitos os aderentes das religiões afro-brasileiras. Durante vários séculos a religiosidade africana se manteve à margem da cultura brasileira. Seus adeptos puderam invocar os Orixás tão somente na clandestinidade, ou sob o manto de algum santo católico. Portanto há razões históricas para que esta expressão religiosa seja tão diminuta na região do Vale dos Sinos. Além disso, o nome “Candomblé”, usado pelo Censo, é pouco conhecido em Canoas. Por tudo isso, as expressões religiosas de matriz africana podem estar sub-representadas, tanto nesta pesquisa como em qualquer outra. Designações mais conhecidas para as religiões afro-brasileiras são Batuque, Nação e Religião Africana, entre outras.

Ainda a propósito da representação da cidadania afro-brasileira em Canos, o Censo de 2010 informa que “pretos” (5,64%) e pardos (8,25%) somam 13,89% habitantes sobre o total da população do município.

Religiões orientais

O grupo aqui denominado “Religiões Orientais” (tabela 7) é composto por três subgrupos: (a) o Budismo, que teve um pequeno decréscimo na década; (b) as “Novas religiões orientais”, entre as quais se encontra a Igreja Messiânica Mundial e o conjunto de religiões formado por “Outras novas orientais”, que tiveram um leve aumento de adeptos e (c) o grupo “Outras religiões orientais” (o Censo não cita quais), que diminuíram 0,03% na década. Não há registros nos Censos de 2000 e 2010 para Hinduísmo, Hare Krishna, Seicho-no-ie, entre outras religiões.

São poucos os adeptos nas Religiões Orientais em Canoas? De acordo com as lideranças religiosas do grupo, a forma de crer no “modo oriental” ainda é um grande desafio para a cultura brasileira, majoritariamente ocidental-cristã.

Judaísmo e Islamismo

As comunidades do Judaísmo e do Islamismo (tabela 8) são muito pequenas em Canoas. Em 2010 contam, respectivamente, com 0,03% e 0,06% de adeptos. Os Islamitas tiveram, neste período, um acréscimo de 0,03%.

Tradições religiosas esotéricas e indígenas

As tradições esotéricas (tabela 9), pouco conhecidas em toda a região do Vale do Rio dos Sinos, somam apenas 168 habitantes (0,05%) em Canoas. A religiosidade indígena, por sua vez, anota tão somente 18 declarantes (0,01%), embora o Censo de 2010 indique que há no município 471 pessoas (0,15%) que afirmam ter “ascendência indígena”.

Religião não determinada e múltiplo pertencimento

A opção religiosa de múltiplo pertencimento institucional (visitas regulares a dois ou mais credos) é admitida apenas por 18 declarantes no Censo de 2010 (tabela 10). Serão realmente tão poucos assim? Outros 1.361 (0,42%) se encontram na categoria “não determinada” ou “mal definida”.

Sem religião, ateus e agnósticos

Canoas, de forma similar a outras cidades do Vale do Rio dos Sinos, apresenta um índice de ateus e agnósticos relativamente baixo (tabela 11). No Censo de 2010 temos 2.364 habitantes (0,73%) que se declararam ateus. Outros 374 (0,12%) disseram que são agnósticos.

Relativamente grande é, no entanto, o número de pessoas que anotaram ser “sem religião”. Somam 6,3% da população do município. Ateus, agnósticos e sem religião perfazem 23.135 habitantes (7,14%). Cresceram 2,24% entre 2000 e 2010.

Conclusão:

A título de conclusão, é possível entender que Canoas segue, na área da diversidade religiosa, tendência parecida com a de outras cidades do Vale do Rio dos Sinos. Esta tendência indica que o cristianismo (considerada toda a diversidade religiosa cristã no município) está em declínio, apesar do crescimento das religiões de origem pentecostal. Colabora com a diminuição cristã, sobretudo, o expressivo índice da redução católica que alcança 11,35% do total de habitantes do município.

Entre as religiões de origem pentecostal, chama a atenção, em Canoas, a diminuição do número de adeptos de algumas destas denominações. Entre estas está a, mundialmente conhecida, e apesar de sua ampla exposição midiática, a Igreja Universal do Reino de Deus.

Outro fato importante a ser destacado se refere ao alto índice de evangélicos que não determinam o nome da igreja. Precisamente 5,72% de declarantes se abrigam sob o indicador “Evangélica não determinada”, informa o Censo de 2010.

Também merece ser destacado o fato que nos Censos de 2000 e 2010 não há declarantes para diversas religiões que, seguramente, encontram adeptos no município de Canoas. Por isso é possível que os aderentes de religiões como os da Igreja Mundial do Poder de Deus, da Seicho-no-ie, e de outras tantas, estejam abrigados sob a designação “evangélica não determinada”.

Quanto às religiões afro-brasileiras os dados dos Censos indicam que estas cresceram (um pouco) entre 2000 e 2010. Mas, de certa forma, continuam com baixa visibilidade. No Brasil, segundo o Censo de 2010, os brasileiros que declaram ser de “cor branca” são 47,73% da população enquanto que “pretos” e “pardos” alcançam 50,7% desta mesma população. Desde então pretos e pardos formam a maioria do povo brasileiro. Em Canoas somam 13,89%.

Assim como em outras cidades da região, Canoas conta com significativo índice de habitantes “sem religião”. Mas as opções “ateu” e “agnóstico” são efetivas para poucos declarantes em ambos os Censos.

Enfim, cabe a observação de que, entre as opções religiosas de Canoas desenha-se a perspectiva de um – ainda pequeno – crescimento da diversidade religiosa. Colaboram com esta assertiva os indicadores da diminuição da força do cristianismo, do aumento dos sem religião, do crescimento da Doutrina Espírita e do alto índice de evangélicos sem denominação conhecida.

Em suma, Canoas conta, desde 2010, com menos cristãos, com maior diversidade religiosa e com mais habitantes sem religião.

Notas:

  1. No campo do ensino superior merecem destaque a ULBRA e os centros universitários Unilasalle e Uniritter.
  2. Mais informações nos sites da Prefeitura do município de Canoas e da Wikipédia.
  3. Comparada a outras cidades do Vale do Rio dos Sinos, as religiões de origem pentecostal tiveram, em Canoas (1,42%), expansão próxima a de Sapucaia do Sul (1,26%) e Esteio (1,65%). A de Novo Hamburgo foi maior: 2,48%.
  4. As denominações Igreja Nova Vida e Evangélica Renovada não determinada, embora constem na lista de opções dos Censos, foram suprimidas da tabela por falta de adeptos. A Igreja Mundial do Poder de Deus, do Apóstolo Valemiro Santiago de Oliveira, não consta entre as alternativas de opção religiosa de ambos os Censos.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s