» O Cristianismo Na Ucrânia

Por: Protopresbítero Nicolas Milus

De acordo com a “Crônica dos Tempos Passados”, do cronista Nestor, a vinda do Cristianismo para a Ucrânia deu-se em três etapas:

A primeira  etapa começou no século I, quando o cristianismo foi pregado pelo próprio Apóstolo Santo André e seus discípulos, no Oriente. O Apóstolo André partiu da cidade de Sinope, na margem sul do mar Negro, margeando as costas do Mar Negro e do Mar de Azov, passando pela Península da Criméia e pela cidade de Quersoneso. Daí, pelo rio Dnipró (Dnieper) chegou até o lugar onde hoje está a capital da Ucrânia, Kyiv (Kiev). Esta etapa também é chamada: “A MISSÃO DE SANTO ANDRÉ”.

A segunda etapa, no século IX, deu-se pelos missionários e Santos Irmãos Cirilo e Metódio. Na sua missão ao território dos Cosaros (khosaros), terras ocidentais da Ucrânia atual, e depois pelos seus discípulos, após serem expulsos da Moravia. Esta etapa também é chamada: “A MISSÃO DO SANTOS IRMÃOS CIRILO E METÓDIO”.

A terceira, no século X, quando o cristianismo foi oficializado no ano de 988 e foi restabelecida a hierarquia eclesiástica em Kyiv, pelo Grão Príncipe (Imperador) Volodymyr (Valdomiro). Esta etapa também é chamada : “A OFICIALIZAÇÃO DO CRISTIANISMO NA RUSH DE KYIV”.

A Missão de Santo André

De acordo com Santo Epifânio de Jerusalém (séc. IX), o Apóstolo Santo André chegou a Kyiv pela via oriental: de Jerusalém através de Antioquia, Capadócia, Ponto, Sinope, Armênia, Sarmátia até a cidade de Fanagória, nas margens orientais do mar de Azov. Daí, foi para as margens ocidentais do mar de Azov, às cidades de  Bósforo (atual Kertch), Teodósia e Quersoneso, de onde foi pelo rio Dnipró até Kyiv. De lá, de acordo com a “Crônica […] foi a Novgorod (Nova Cidade), ao norte de Kyiv, e de lá a Roma, para visitar seu irmão Pedro. De Roma, margeando o lado direito do Rio Danúbio, voltou para Sinope.

Naqueles tempos, as terras da Ucrânia atual estavam sob o domínio da Cítia. E conforme os escritores eclesiásticos, Orígenes (185-254 d.C), Tertuliano (160-230 d.C), Santo Atanásio (295-373 d.C) entre outros, a Cítia foi destinada, por sorteio, à pregação de Santo André.

A Cítia se estendia dos montes Bálcãs (no Oeste) até o Rio Volga, o Mar Cáspio e os Montes do Cáucaso (no Leste), incluindo a península da Criméia (no Sul); dos Mares de Azov (no Sul) até os bosques do norte. Essa região era habitada não somente pelos citas, mas também por outros povos dominados por eles. Entre os povos dominados pelos Citas, encontramos os precursores do povo ucraniano, como os Alanos (atuais Kozacos de Don e Kubánh), Dácios (eslavos misturados com romanos, atuais romenos) Getas, Krevêtchi (atuais bielorussos), roxolanos (roksolanos; atuais ucranianos da Ucrânia central), servos, tauros (atuais ucranianos do Sul da Ucrânia), Tiragetas (tevértsi, atuais ucranianos do Sul da Ucrânia), Trácios (eslavos misturados com búlgaros, os búlgaros atuais), Ulêtchi (atuais ucranianos do Sul da Ucrânia) entre outros.

O Cristianismo chegava às terras da Ucrânia também pela via ocidental:

  • Pelas vias marítimas e fluviais;
  • Através dos comerciantes;
  • Através dos soldados da Ásia Menor;

Através dos próprios eslavos, a partir de Tessalônica, Macedônia, Trácia, Mésia e Dácia (os três últimos são a Bulgária e a Romênia atuais) até a Ucrânia Ocidental. Este ramo do Cristianismo provém das viagens e pregações de São Paulo por terras eslavas.

A Missão dos Santos Irmãos

O Cristianismo, semeado pelos apóstolos André e Paulo e seus discípulos, foi reforçado no século IX pela missão dos Santos Irmãos Cirilo e Metódio – Mestre dos Eslavos (a partir de 858 d.C.). Cirilo faleceu no ano de 869 d.C. e Metódio no ano de 885 d.C. Eles traduziram os livros gregos para o idioma eslavo e criaram os caracteres eslavos para facilitar a leitura e a escrita usadas até hoje.

Os Santos Irmãos eram oriundos da cidade de Solúnh (em eslavo) ou Tessalônica (em grego), onde no século I, o Apóstolo Paulo pregou o Cristianismo. Talvez por isso a “Crônica dos Tempos Passados” diz que Paulo é o apóstolo dos eslavos e ensinou-lhes a língua eslava.

A missão dos santos Irmãos no território da atual Ucrânia realizou-se de acordo com a “Crônica” a pedido dos Khosaros, nos anos de 885-861 d.C. De acordo com outras fontes, essa missão deu-se a pedido dos príncipes de Kyiv Askold e Dyr (852-882 d.C), os quais foram batizados pelos mesmos no anos de 860 d.C.

Os irmãos Cirilo e Metódio, estando em Quersoneso, descobriram a Sagrada Escritura na língua eslava-rutena, os chamados “ruski pesmená” (escritos eslavos) e um homem que sabia lê-los e interpreta-los. Comparando esta língua com a sua, de Tessalônica, eles começaram a ler e entender, mas era difícil escrever. Então eles decidiram aproxima-la dos alfabetos grego e latino, dos quais vieram a utilizar muitos caracteres. Os que faltavam, eles adotaram dos antigos, ou criaram novos. Estes caracteres chamam-se cirílicos e provêm do nome Cirilo. Com poucas modificações, são usados em línguas eslavas até hoje.

Após essa missão, voltaram para Tessalônica e de lá foram para a Bulgária, Panônia e Morávia. Esta última missão realizou-se nos anos 863-967 d.C., com grande êxito.

Sabemos que entre a chegada dos santos Irmãos Cirilo e Metódio ao território da Ucrânia atual e o batismo da Rush-Ucrânia, de acordo com o estatuto de Leon o Sábio (886-911 d.C.), já existiam:

  • Eparquia de Quersoneso, que figurava sob os números: 58,25 e 16, porém sem informação sobre sua hierarquia e seu território;
  • Arcebispados de Bósforo (da Criméia), Nicópsis, Fula, Sugdáia e Tmutorokánh;
  • Metropólias (arcebispados metropolitanos) de: Alânia, Cítia e Rush, sendo que esta última figurava sob o número 60, porém não se sabe onde residia o metropolita;
  • Igreja de Santa Irene em Kyiv.

A “Crônica  dos Tempos Passados”, falando da morte dos príncipes Askold e Dyr, quando foram assassinados por um soldado viking de Oleh em 882 d.C., diz que o corpo de Dyr foi enterrado atrás da Igreja de Santa Irene e sobre sua sepultura de Ascold, posteriormente, foi construída a Igreja de São Nicolau, o que indica que o príncipe Ascold escolheu o nome de Nicolau ao ser batizado”.

Por outro lado, sabemos que em Kyiv, nos tempos do príncipe Ihor (Igor) 913-945 d.C), já existia a catedral de Santo Elias, mas não sabemos que ocupava a sua cátedra.

O Cristianismo nas terras da Ucrânia iniciou seu apogeu no século X, quando a princesa Olga (945-964 d.C.), esposa do falecido príncipe Ihor, a primeira mulher que ocupou o principado e a primeira princesa que, no ano de 955 d.C., batizou-se na Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica, e na fé Ortodoxa. Isto porque naquele tempo a Igreja de Cristo ainda não estava dividida.

Oficialização do Cristianismo na RUSH de KYIV

O Cristianismo atingiu o predomínio nas terras da Rush (Rus) de Kyiv durante o reinado do neto da princesa Olga, o Grão-príncipe Volodymyr (Valdomiro) o Grande (980-1015 d.C.), que no ano de 988 d.C. oficializou-se como religião do estado. No governo do seu filho, o Grão-príncipe Iaroslav o Sábio (1019-1054 d.C.), que institui uma hierarquia eclesiástica própria, o Cristianismo foi ainda mais fortalecido, pois o Concílio dos Bispos elegeu um bispo de nacionalidade ucraniana, chamado Ilarión, e nomeou-o como metropolita (arcebispo metropolitano) de Kyiv.

Tal fato se repetiu na metade do século XII, quando foi escolhido e entronizado na cátedra de kyiv, pelo Concílio dos Bispos, outro metropolita ucraniano, Klym Smoliatytch, o Teólogo.

No tempo do Grão-príncipe Iaroslav, o Sábio, já existiam numerosos templos, não só na capital, mas também em todo o país. Em sua época foi construída em Kyiv a famosa catedral de Santa Sofia, que é o templo mais venerado pelo povo ucraniano, e também começou a ser constituído o conjunto de mosteiros Kyivo-Petcherska Lavra.

A Igreja na RUSH de KYIV

A Rush de Kyiv, atual Ucrânia, era chamada pelo gregos de “Mikro Rossia” (Malarush “Malarus”) e os territórios ocupados pela Rush de Kyiv: “Makro Rossia”.

Já os romanos chamavam a Rush de Kyiv de Ruthênia.

Faz-se necessário esclarecer que até a batalha de Poltava existiam nessa região três estados diferentes:

  • Malarush (Mikro Rossia (ex-Rush de Kyiv);
  • Suécia;
  • Moscóvia, ou estado de Moscou.

Após a batalha de Poltava, ocorrida em 1709, quando o Tsar moscovita Pedro I derrotou Carlos XII, Rei da Suécia, aliado a Mazepa, hethman da Malarush, Pedro I se proclamou imperador e trocou o nome de Moscóvia por “Vielica Rossia” (Grande Rússia). Conseqüentemente, o nome Malarush (Pequena Rússia) começou a ser tratada com desprezo pelos moscovitas ou “russos brancos” (tsaritas) e posteriormente também pelos “russos-vermelhos”, isto é os (comunistas). Por isto os “russetchi” ou “ruthenos”, históricos habitantes da Ucrânia (como era assim chamada até no ano de 1772), passaram a se auto-denominar “ucranianos” , mudando o nome de Malarush para Ucrânia.

A Igreja na Rush de Kyiv teve início oficial no ano de 988, quando o Grão-príncipe (Imperador) Volodymyr (Valdomiro) o Grande, introduziu o Cristianismo em seu império, ordenando que a população da cidade de Kyiv fosse batizada no rio Dnipró pelo Arcebispo Athanásio e pelo clero de Quersoneso e Bizâncio. De Kyiv, o Cristianismo propagou-se por todo território do império da Rush de Kyiv, incluindo os territórios da atual Bielorússia e Rússia, tornando-se a única religião. Nessa época foram reunidas todas as tribos dos eslavos orientais, que hoje correspondem ao povo ucraniano, bielorusso e russo.

A Igreja começou então a fundar escolas, a imprimir livros, construir igrejas, fundar mosteiros e, sobretudo, a praticar a vida cristã. Os habitantes da Rush aceitaram sem resistência o Cristianismo, porque a palavra de Deus era pregada em eslavo, língua conhecida e falada por aqueles povos. Os primeiros sacerdotes eram da Bulgária, de onde também vieram os primeiros livros sagrados em idioma eslavo, traduzidos pelos santos irmãos Cirilo e Metódio.

A Igreja Ortodoxa da Rush de Kyiv, após a morte do Grão-príncipe Iaroslav o Sábio, ficou subordinada ao Patriarca Ecumênico de Constantinopla, que era quem nomeava os metropolitas, na maioria gregos, com o título de “Metropolita de Kyiv e de toda a Rush”.

A morte do Grão-príncipe Ioroslav, o Sábio, coincidiu com a divisão da Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica em: Igreja Católica Apostólica Ocidental, sob a autoridade do Papa, com sede em Roma e rito romano (ou latino), hoje conhecida como a Igreja Católica Apostólica Romana e a Igreja Católica Apostólica Oriental, sob a autoridade do Patriarca Ecumênico, com sede em Constantinopla e rito grego, hoje chamada: Igreja Ortodoxa.

A Rush de Kyiv foi invadida pelos tártaro-mongóis em 1240 d.C.

(Colaboração: Olexander Stecenko)

Anúncios