» 2013 – NOVEMBRO

Registros de nosso último encontro ocorrido nos dias 23 e 24 de Novembro de 2013. No domingo, dia 24,  após a Divina Liturgia, celebramos um Ofício de Panahyda pelos falecidos de nosso comunidade e pelas vítimas de «Holodomor»*. Depois dos ofícios litúrgicos a comunidade re reuniu no salão paroquial onde foi servido um delicioso almoço de confraternização.

*Holodomor (em ucraniano: Голодомор)

É o nome atribuído à fome de carácter genocidário, que devastou principalmente o território da República Socialista Soviética da Ucrânia (integrada na URSS), durante os anos de 1932 – 1933. Este acontecimento — também conhecido por Grande Fome da Ucrânia — representou um dos mais trágicos capítulos da História da Ucrânia, devido ao enorme custo em vidas humanas. Apesar de esta fome ter igualmente afetado outras regiões da URSS, o termo «Holodomor» é aplicado especificamente aos fatos ocorridos nos territórios com população de etnia ucraniana: a Ucrânia e a região de Kuban, no Cáucaso do Norte. Como tal, é por vezes designado de «Genocídio Ucraniano», ou «Holocausto Ucraniano»,  significando que essa tragédia seria resultante de uma ação deliberada de extermínio, desencadeada pelo regime soviético, visando especificamente o povo ucraniano, enquanto entidade socioétnica. Tendo como referência o conceito de genocídio e a sua definição jurídica, verifica-se um crescente consenso dos historiadores, relativamente à natureza genocidária do Holodomor. Há um número cada vez maior de países que o reconhecem oficialmente como um ato de genocídio.

O  termo «Holodomor» deriva da expressão ucraniana ‘Морити голодом’ (moryty gholodom), tendo como raiz etimológica as palavras «holod» (fome) e moryty (matar através de privações, esfaimar), significando por isso «matar pela fome». O termo terá sido utilizado pela primeira vez pelo escritor Oleksa Musienko, num relatório apresentado à União dos Escritores Ucranianos de Kiev, em 1988. No quarto Sábado do mês de Novembro a Ucrânia e as comunidades ucranianas implantadas em diversos países de acolhimento prestam homenagem às vítimas do Holomodor. (Wikipedia)
***
Anúncios